Tendência Mercado Biztalk no Brasil

Quando eu fui nomeada MVP de Biztalk, achei o máximo, uma grande honra, pois além de ser a primeira mulher brasileira a ser nomeada MVP, sou a única MVP do produto na América Latina!

Mas depois da minha nomeação, senti um certo desprezo pelo produto por parte de pessoas que trabalham em TI. Quem não conhecia o Biztalk, perguntava se era da Nestle, e quem conhecia, torcia a cara: MVP de Biztalk? ugh! Biztalk? Mas Biztalk vai morrer… Estuda notepad, paint.. Steaming mad

Já escutei, até que o Biztalk é uma porcaria.. Mas porcaria porque? Vai ver que não sabe mexer, hehehe

Conversei com alguns amigos e especialistas de outras consultorias e o veridicto é um só: O Biztalk está deixando de ser vendido, os clientes não estão optando por ele. Isso significa que em um futuro próximo, apenas aqueles clientes que já adquiriram o Biztalk, são aqueles que vão gerar demanda. E quem sabe o produto deixe até de ser comercializado aqui no Brasil.

Mas qual o motivo disso? Será o preço, outras ferramentas de Integração, como SSIS, WCF, WF? Outra plataforma que está dominando o mercado, como XI, websphere, webmethods?

Por um tempo fiquei arrasada, pensei comigo: meu emprego já era, meu título não serve de nada, vou ter que trocar a tecnologia..  Mas eu realmente acho o Biztalk uma grande ferramenta, e que os beneficios são muitos, um deles é que não precisa ser um expert em programação, outro fator importante é a flexibilidade em reaproveitar o código, o tempo ágil de desenvolvimento, monitoramento, deploy, a quantidade de adaptadores disponiveis, enfim. 

Com essa onda de Cloud Computing a esperança é de que o Biztalk possa ser relembrado. Aqui, a reportagem fala na dificuldade de integrar os sistemas que estão na nuvem com os sistemas legados.

Vou continuar fazendo o meu trabalho, e disponibilizando conteúdos aqui no blog.. Sinto uma grande satisfação em poder ajudar outras pessoas com o pouco do que eu sei.. Posso sonhar e pensar que estou fazendo a diferença, para que o produto fique mais conhecido e para que tenha uma parcela maior no mercado de Integração.

E ME ORGULHO BASTANTE DE SER MVP EM BIZTALK.

6 Comentários:

Franco disse...

Grande Ruth !
Muito boa sua ressalva , continue assim as informações postadas aqui tem sido de grande valia pra comunidade em Geral .

Grande abraço

Ruth Resende disse...

Franco, muito obrigada! Fico feliz em saber disso! :)

Sandro Pereira disse...

Olá Ruth, conforme prometi aqui vai a minha humilde opinião (isto mais vai parecer um post de que um comentário).

Em relação ao volume de mercado e a sua tendência em Portugal, infelizmente também desconheço esses dados. No entanto posso afirmar que não conheço nenhum cliente que tenha deixado de utilizar o produto, muito pelo contrário. Pelos clientes que acompanho tenho verificado uma aposta cada vez maior neste produto:
• Ao nível da quantidade de projectos
• No reforço do produto, ou seja:
o Migrar de versões antigas para BizTalk Server 2010
o Assim como instalação de topologias de alta escalabilidade (clusters)

No que diz respeito à publicidade, ou falta dela :). Pelo menos pelo que eu conheço em Portugal, normalmente os parceiros são acompanhados por um “Gestor de Cliente Microsoft”, que também tem como objectivo aconselhar as soluções ideias para a resolução dos seus problemas, sendo que muita dessa “publicidade” é oculta. No que diz respeito à publicidade pública ao Produto, infelizmente concordo contigo, ela é pouca ou nula se compararmos com outras tecnologias/produtos Microsoft.

Isto porque, a meu ver, este produto está muito vocacionado para médias e grandes empresas, o que às vezes não são muitas, mas quase todas elas usam middlewares e na maior parte BizTalk. Estas contêm dentro da sua organização ou na necessidade de comunicar com os seus parceiros externos, vários sistemas distintos, muito deles com “linguagens” (EDI, XML, Flat File, XML-RPC, ….) e protocolos (HTTP, FTP, …) diferentes, que “obrigam” a ter middlewares por forma a resolverem esses desafios, e como esses clientes são acompanhados pela Microsoft, o produto vende-se a si próprio.

Ao contrário de pequenas empresas, muitas das vezes não dispõem de vários sistemas internos, o que poderá ser uma das razões para não terem sistemas de integração, mas podem facilmente utilizar tecnologias/produtos como CRM ou SharePoint na sua gestão, dai uma das razões para que estas tenham mais publicidade (mercado mais abrangente).

Mas, mais uma vez esta é a minha opinião e acho importante referir, que devido a alguma falta de “publicidade” do produto, os clientes tendem a assustar-se quando ouvem falar de BizTalk . Em conversas casuais a primeira coisa que respondem quando ouvem a palavra BizTalk é: “não, isso não porque é extremamente caro!!!”, dizem isso por dois motivos:
• Desconhecem as versões do produto e o ser licenciamento (por norma conhecem duas versões: Enterprise e Standard)
o Enterprise é realmente cara ($44,228 US), mas as funcionalidades são muitas!
o Standard é praticamente igual à Enterprise com algumas limitações, de realçar que se encontra limitada a 5 aplicações, a meu ver ideal para medias empresas ($10,138 US)
o E mais importante, existe ainda uma versão Branch por apenas $2,528 US, limitada a 1 aplicação (entre outras funcionalidades) mas que poderá ser ideal para alguns cenários existentes em pequenas/medias empresas, por exemplo na integração de um parceiro externo com os seus sistemas)

Para além do desconhecimento dos produtos de integração (BizTalk e os seus concorrentes), algumas empresas também optam por fazer os seus próprios “sistemas de integração”, a meu ver pelos seguintes motivos:
• Dificuldade, muita das vezes, de arranjar mão-de-obra qualificada.
• Terem a percepção do produto ser caro e a mão-de-obra também cara
• E por ultimo a arrogância do pensar que “o meu é melhor”

O desafio que lanço, é que no final efectuem o balanço do projecto, provavelmente vão constatar que compensaria adquirir um sistema de integração e que assim baixariam os custos de implementação e manutenção.

Sandro Pereira disse...

(parte 2 :))

Mais uma vez digo “Não há nada que o BizTalk faça que com código escrito de raiz não se consiga fazer, a questão é quanto tempo demora a implementar uma solução sem um uso de middleware (sistema de integração). Facilmente se conseguirá efectuar uma integração entre dois sistemas com o uso de tecnologias de comunicação e transporte de dados tais como o Microsoft WCF, mas quando se analisa com mais atenção alguns requisitos, é fácil identificar certos desafios que se podem tornar bastante complexos: implementação de persistência, correlação de mensagens assíncronas, recuperação em caso de falhas nas comunicações, mapeamentos complexos, atomicidade, transacções de longa duração, monitorização e visibilidade dos processos, e tudo isto se reflecte, para um programador, em custos enormes na implementação.”

Uma das coisas que nós como consultores/arquitectos podemos fazer é aconselhar devidamente os nossos clientes, olhar para as suas necessidades e aconselhar as ferramentas correctas e não as que estão na moda ou que interessa. Existe uma variedade de tecnologias/produtos: BizTalk, WCF, AppFabric, ESB, WF. SQL integration srevices, ….) e nem todos os cenários são ideias para o BizTalk (e vice-versa para as restantes):
• Se tivermos de efectuar o carregamento de grandes quantidades de informação para base de dados provavelmente devem os utilizar SQL Server Integration Services;
• Se tivermos de implementar um fluxo (processo) de intervenção humana para a nossa aplicação provavelmente deveremos utilizar Workflow Foundation;
• O BizTalk deve ser usado principalmente para integração de aplicações corporativas (EAI), integração de sistemas entre parceiros de negócio (B2B) e para gestão de processos de negócio (BPM).

A meu ver nenhuma substitui as outras, sendo que algumas das vezes existem áreas comuns.
No passado já cheguei a ler que não fazia sentido a Microsoft ter duas plataformas de fluxos (workflow): Workflow Foundation e BizTalk e que ambas iriam convergir! Aliás na altura que saiu a primeira versão do WF, a primeira coisa que ouvi foi, aprende esta tecnologia que o BizTalk vai morrer o futuro é WF!??

Mas já alguém experimentou os dois produtos para chegarem a esta conclusão?

Eis uma pequena definição das duas e o porque de existirem as duas:
• WF é orientado a eventos, ideal para fluxos de intervenção humana, e é por isso que WF encontra-se em produtos como CRM e SharePoint, deve ser utilizado idealmente para fluxos aplicacionais.
• BizTalk (orquestrações) é orientado às mensagens!!! Deve ser utilizado para integração de sistemas, EIA, B2B e BPM. No entanto BizTalk é péssimo em fluxos de intervenção humana (human workflows)

Em resumo, algumas pessoas dizem “BizTalk é um produto morto”, cada um é livre de pensar como quer, mas a realidade é que:
• Acabou de ser lançado uma nova versão do Produto recentemente BizTalk 2010!
• Os clientes ano após ano estão a aumentar
• Não conheço nenhum cliente que utilize o produto e fale mal dele, ao ponto de o querer substituir

A nível pessoal a única coisa que posso garantir, é que nos últimos 2 anos o meu trabalho triplicou (sem exageros) e se tivesse uma equipa maior consegui ter mais trabalho, por isso quando me perguntam se o BizTalk está em crise? A minha resposta é não, aliás nunca esteve melhor.

Abraço,Sandro Pereira

Ruth Resende disse...

Muito Obrigada pelo seu comentário Sandro! Esclareceu vários pontos.. Espero que os clientes voltem a se animar com essas alternativas de licença..

Sandro Pereira disse...

(parte 2)

Mais uma vez digo “Não há nada que o BizTalk faça que com código escrito de raiz não se consiga fazer, a questão é quanto tempo demora a implementar uma solução sem um uso de middleware (sistema de integração). Facilmente se conseguirá efectuar uma integração entre dois sistemas com o uso de tecnologias de comunicação e transporte de dados tais como o Microsoft WCF, mas quando se analisa com mais atenção alguns requisitos, é fácil identificar certos desafios que se podem tornar bastante complexos: implementação de persistência, correlação de mensagens assíncronas, recuperação em caso de falhas nas comunicações, mapeamentos complexos, atomicidade, transacções de longa duração, monitorização e visibilidade dos processos, e tudo isto se reflecte, para um programador, em custos enormes na implementação.”

Uma das coisas que nós como consultores/arquitectos podemos fazer é aconselhar devidamente os nossos clientes, olhar para as suas necessidades e aconselhar as ferramentas correctas e não as que estão na moda ou que interessa. Existe uma variedade de tecnologias/produtos: BizTalk, WCF, AppFabric, ESB, WF. SQL integration srevices, ….) e nem todos os cenários são ideias para o BizTalk (e vice-versa para as restantes):
• Se tivermos de efectuar o carregamento de grandes quantidades de informação para base de dados provavelmente devem os utilizar SQL Server Integration Services;
• Se tivermos de implementar um fluxo (processo) de intervenção humana para a nossa aplicação provavelmente deveremos utilizar Workflow Foundation;
• O BizTalk deve ser usado principalmente para integração de aplicações corporativas (EAI), integração de sistemas entre parceiros de negócio (B2B) e para gestão de processos de negócio (BPM).

A meu ver nenhuma substitui as outras, sendo que algumas das vezes existem áreas comuns.
No passado já cheguei a ler que não fazia sentido a Microsoft ter duas plataformas de fluxos (workflow): Workflow Foundation e BizTalk e que ambas iriam convergir! Aliás na altura que saiu a primeira versão do WF, a primeira coisa que ouvi foi, aprende esta tecnologia que o BizTalk vai morrer o futuro é WF!??

Mas já alguém experimentou os dois produtos para chegarem a esta conclusão?

Eis uma pequena definição das duas e o porque de existirem as duas:
• WF é orientado a eventos, ideal para fluxos de intervenção humana, e é por isso que WF encontra-se em produtos como CRM e SharePoint, deve ser utilizado idealmente para fluxos aplicacionais.
• BizTalk (orquestrações) é orientado às mensagens!!! Deve ser utilizado para integração de sistemas, EIA, B2B e BPM. No entanto BizTalk é péssimo em fluxos de intervenção humana (human workflows)

Em resumo, algumas pessoas dizem “BizTalk é um produto morto”, cada um é livre de pensar como quer, mas a realidade é que:
• Acabou de ser lançado uma nova versão do Produto recentemente BizTalk 2010!
• Os clientes ano após ano estão a aumentar
• Não conheço nenhum cliente que utilize o produto e fale mal dele, ao ponto de o querer substituir

A nível pessoal a única coisa que posso garantir, é que nos últimos 2 anos o meu trabalho triplicou (sem exageros) e se tivesse uma equipa maior consegui ter mais trabalho, por isso quando me perguntam se o BizTalk está em crise? A minha resposta é não, aliás nunca esteve melhor.

Abraço,Sandro Pereira

Postar um comentário

BizTalk 360

Visitas

Arquivo do blog